sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Percurso...





Déles todo o mal que há em mim... Que me condena;
Fazes muito mais que eu mereço e me comoves;
Moves céus e Terra pra mostrar quanto me ama;
Clamas bem baixinho em meu ouvido por afago...

Quando entenderás que sou volátil e sem massa?
Nunca sentirei mais que euforia ou o que valha
É o que me esforço para crer sobre mim mesmo,
Mas sou pura chama de amor tenso e me espalho...

Vem! Vamos tentar a outra chance, a outra porta!
Essa cujo nome evoca mais que a esperança
E que não se importa de passar por derrotada
Mesmo que a derrota seja cálice bebível...

Ouça! Eis que o som da Primavera agora é fato!
Tudo já conspira em favor de nova sina.
Deita e me abraça, pois o frio quer nos tentar
Por saber que juntos nada pode nos deter.

Digo que essa lágrima tem tons de alegria.
Vejo que teu gosto ainda é doce e me sustenta
Como se os dias nem tivessem nos cansado.
Amo e muito mais do que amei lá no passado...

Ronaldo Rhusso


 







Um comentário:

Dulce Morais disse...

Se adorei a escrita, bela e intensa, o meu coração hesita quanto ao sentimento provocado. Não sei se é uma declaração de amor ou de desamor mas, por certo, forte e pungente!