segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Parabéns Graça Azevedo!

Takara

domingo, 27 de dezembro de 2015

Cotas para que?



Mexendo Com COTAS...

Dia desses, fuçando a linha do tempo de um poeta, deparei-me com uma tal Lei do Boi...
Morro e não aprendo 1% da História desse nosso diferenciado país!
Tinha alguma informação na postagem do poeta, mas, incrédulo, fui conferir no site do Legislativo Federal...
E não é que o Presidente Costa e Silva, em três de julho de 1968 – auge do Regime Militar -  assinou o Decreto de número 5.465 concedendo COTAS para filhos de proprietários de terras ou não, filhos de criadores de gado ingressarem em Faculdades Federais de Agrimensura, Agropecuária, Veterinária...
As cotas poderiam chegar a 80% somando quem morava em cidades que tinham Faculdades Federais e quem morava distante!
Mas não me dei por satisfeito e busquei mais informações com amigos que estudaram na UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro) nesse período entre 1968 (ano do Decreto) e 1985, ano da Revogação do mesmo...
Todos me disseram que com essa “Lei do Boi” os filhos de fazendeiros ricos poderiam estudar nessas Faculdades públicas e fazer o Curso que bem quisessem. Faziam uma prova de admissão “para inglês ver” e garantiam suas vagas tranquilamente!
Daí eu penso: “– Mas essa gente que prega a meritocracia (sucesso por merecimento) não é a mesma que pede a volta dos militares”?
Ora! Foi, exatamente, durante o Regime Militar que essa Lei do Boi durou!
A Lei que a revoga é a 7.423 de 17 de dezembro de 1985. Ou seja, acabou o Regime Militar, acabou a mamata!
Advinha quem é contra as cotas para negros?
O Bolsonaro outro dia disse que não é racista, apesar de ter dito ao vivo no CQC que filho dele era bem criado e não iria namorar uma negra, e é um dos que combatem veementemente as cotas para negros (Aliás, foi condenado, recentemente, a pagar 150 mil reais por crime de Racismo – se não tivesse imunidade parlamentar estaria preso)! Ele, agora, até menciona o sucesso de Barack Obama, Joaquim Barboza...
Num país de mais de 200 milhões de habitantes você se pautar em um só caso de sucesso (embora eu tenha que admitir que há pelo menos mais dois ou três) para justificar a falta de necessidade de cotas é realmente um pensamento maravilhoso para quem deseja ser presidente de um país que entre negros e mestiços tem no mínimo 80% da população (Viu? Estou sendo bonzinho e deixei por 80% da população, coisa de 160 milhões de brasileiros, só!)!

As COTAS da Lei do Boi eram para brancos. Filhos de ricos ou, no mínimo, proprietários de terras que possuíam mão de obra para “toca-las” sem a ajuda dos filhos porque pequenos proprietários não poderiam se dar o luxo de abrir mão da presença dos filhos na lida diária... Era cota para ricos!

Ronaldo Rhusso

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Sintonizados... (Quindetos)



I
Tu podes me sentir qual eu te sinto?
É só fechar os olhos devagar...
Sentir o sangue quente, puro e tinto,
correr por tuas veias; bombear
teu peito – coração – o meu recinto...

É fácil conseguir. Basta tentar!
Tu vais ficar feliz! Creias, não minto.
É algo bem melhor do que sonhar.
Deixar-se se entregar só por instinto...

Viver sem libertar o eu é nada!
É qual ficar desperta em madrugada
gastando a vida à toa e sem sentido!

Então me sinta qual te sinto agora!
A vida passa rápida lá fora!

Não te deixes viver sem teres sido...

II
Derrame a tua alma com firmeza!
Vivemos nesse mundo uma só vez.
É lei determinada com certeza
e tem as digitais de Quem a fez,
assim qual fez perfeita a natureza!

Então me sinta; sinta a minha tez
que sente a tua, a toca em singeleza...
Enxergo o teu sorrir com nitidez.
É qual fosse um Solzinho... Só beleza!

A tua Dimensão parece fria...
Vai ver porque de mim está vazia!
Permita-te seguir minha frequência...

Meu Chi é forte e posso dividir
contigo e meu amor em ti fluir
de fato, de verdade... Em permanência...

Ronaldo Rhusso







quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Mexendo Com Música...


Quando o país se livrou da Ditadura tratou de garantir na Constituição o Direito à Liberdade de Expressão de tal forma que foram descuidados em demasia!

Não colocaram limites porque o jargão era: “ – É proibido proibir”! (Chupa essa manga, agora!)
Então vimos a bela música do interior de Goiás e de Minas se popularizar e, infelizmente, tornar um lixo!
A música carioca foi infestada por um câncer chamado Funk que desvirtuou os padrões de moralidade e respeito!
Em São Paulo o RAP se tornou meio de criminalizar a polícia e tornar herói os bandidos.
Na Bahia vimos nascer um Grupo de “Samba Duro” chamado Gera Samba que se tornou “É o Tchan”, contaminou dezenas de grupos e acabou com a música da Bahia!
Em Sergipe, Recife, Natal… Surgiram supostas bandas de forró que degradaram tanto a Arte popularizada por Luiz Gonzaga que esse, se estivesse vivo, morreria novamente a cada apresentação dessas pseudobandas!

A música de uma Nação a influencia!
Ouvir porcaria faz pensar porcaria ou nem pensar!
Vivemos uma situação de Crise Cultural tal que constata-se que nunca mais nascerá um Mário Quintana, um  Drummond de Andrade, um Mário Palmério, um Fernando Sabino (isso para falar dos contemporâneos)…

Se repararem até a música das igrejas se tornaram um lixo babilonial!

A Década de 1990 pariu grupos como “Mamonas Assassinas” que graças a Deus só durou um LP.
Eu ouvi crianças cantando: “ – Comer tatu é bom! Que pena que dá dor nas costas”…

Vi no Programa da Xuxa um Grupo de meninas cantarem “ – Não quero homem de pau pequeno!” em 1995! Confira se tiver dúvidas:

O que se pode esperar dessa nação?

Se você está assustado por ver um bandido de alta periculosidade presidindo a Casa que faz as Leis do Brasil e um Judiciário de calças arreadas para ele saiba que você tem culpa!

Quem vai substituir Chico Buarque, Caetano Veloso, Dominguinhos, Raul Seixas (Sim! Raul Seixas!), Teixeirinha e tantos outros que ensinavam a pensar através de suas letras e canções que não faziam mal para a audição?

Ronaldo Rhusso