quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Inocência em quatro patas...






Quando eu me aproximo a festa é certa!
Ele sorri em saltos para os lados.
Alerta a vizinhança em hora incerta;
Os seus latidos são alegres brados!

Eu mesmo não entendo: ele acerta!
Pois sempre que são muitos meus enfados
Seu gesto de amizade desconcerta
E vejo um céu real em seus agrados...

Tomara que ele viva a Eternidade
E me conceda mais ensinamentos
Que me  tornam um ser bem mais humano!

Mesmo quando lhe tolho a liberdade
Percebo-lhe inocente e seus atentos
Olhos fiéis me amam sem engano...



 


Nenhum comentário: