quarta-feira, 29 de outubro de 2014

MILITONTOS PARTE I


Um comentário:

Olimpio de Rose disse...

Dura flor, rebentando as cicatrizes da terra seca. Primor meu caro poeta. Primor!