sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O que?

O que esperas de um poeta?
De um sujeito assoberbado
que se dá só em Poesia
porque o mundo visto assim
de suas lentes verdes, tintas
da esperança que renova,
tem, de fato, carecido
de uma voz que diz: Ô! Calma.

O que esperas de um poeta?
Bardo é bardo! Dor é dor!
E essa troca de palavras
só faz bem quando se entende:
Poesia é chama, é sonho,
mas não vai pagar um preço
que não contratou no ontem...

Ah! Eu sei que as palavras
são uns pássaros que trinam;
que nos trazem tanto encanto
que não queremos só sonho!
Mas os pássaros preferem
vida, livres, pois são raros...

Meu trinado é compassado,
e tem certa assonância,
mas não sei como me ouvem...
Sei, apenas, que sou livre
pra cantar, amar, voar...

O que esperas de um poeta?
Dizem que nem mesmo é gente
porque gente é tão comum
pelas beiras das estradas...

O que esperas de um poeta?
Dor, amor, ardor e cor?
Não é muito de uma vez?

Ei! Desarma essa tristeza.
A Poesia é uma beleza...

O que esperas de um poeta?

Ronaldo Rhusso

Um comentário:

Andre Brum disse...

As vezes esperamos de um poeta que ele desabafe as nossas tristezas, que sinta as nossas dores ou que celebre os nossos amores, buscando no seu universo de completa intimidade com as letras, as palavras que não conseguimos encontrar.
As vezes esperamos de um poeta que ele derrame as lágrimas que, por algum motivo, não conseguimos derramar...