quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Carlitos...


Não vou dizer de teu talento,
do teu esmero pela arte
quando falar era impossível,
mas cada gesto era um poema...

Não vou falar que, pioneiro,
tu protestaste contra o feio,
contra a miséria do trabalho
que escravizava o corpo e a mente...

Não haverei de mencionar
de teu zombar de ditadores
que nos fizeram gargalhar...
E tu? Um mero vagabundo...

Ronaldo Rhusso

3 comentários:

Café com letras disse...

Assim se mantém vivas as boa coisas!

Inezteves disse...

Estupenda poesia!

Joaquim Garcia de Araújo disse...

Obrigado por compartilhar comigo tua poesia. Também estou de olho nos bons, que são poucos diante da sociedade distorcida que vemos ao nosso redor.