sexta-feira, 9 de março de 2012

O Armagedom e 21 de dezembro de 2012...





O Armagedom e 21 de dezembro de 2012...

Título de filme, livro, sermões, discursos...
Quem crê no Armagedom?

Por que há tantos que acreditam, de fato, numa guerra de proporções mundiais?
Talvez a melhor pergunta seja: Por que essas pessoas acreditam que, um dia, o mundo todo se reunirá num determinado lugar com forças divididas e lutarão numa guerra que porá termo ao planeta Terra?

O Armagedom Maia já arrecadou bilhões e há milhões de seres humanos aguardando o que ocorrerá no dia 21 de dezembro de 2012!

Começará, realmente, uma Nova Era?

O Livro onde, em uma única vez, aparece o termo Armagedom (Monte de Megido) é um dos mais incompreendidos, justamente pelos bilhões que dizem crer nele!
 Eis o maior de todos os contrassensos, pois os cristãos alegam crer absolutamente na Bíblia, contudo a maioria esmagadora confessa não compreender a maior parte dos textos escritos nesse compêndio de livros!

Como crer naquilo que não se entende?
Não é à toa que até dez anos atrás o número de “sub religiões” cristãs ultrapassava a casa de cinco mil e hoje esse número mais que triplicou!

Armagedom do grego arcaico ρμαγεδών ou Monte de Megido.

Tal Monte nunca existiu! Havia uma planície entre o Monte Carmelo, o Monte Tabor e o Monte Gilboa, na região da Galiléia, próximo à Samaria com esse nome, ou melhor, Campo de Megido, onde batalhas memoráveis, entre o povo de Israel e outros povos, foram travadas. Era um ponto estratégico e propício para tais embates!

Devido à pequena extensão dessa área, certamente, não se daria ali uma batalha de proporções mundiais!

Se a tal batalha se dará pelo predomínio de um determinado reino é de se imaginar que o planeta não seria destruído, pois do contrário não sobraria nada em que reinar!
Por outro lado, uma guerra atômica não daria conta de destruir o planeta, visto que os habitantes morreriam antes e não haveria tempo hábil para abalar seriamente a estrutura da Terra, que sairia apenas com alguns arranhões a mais!

Durante o reinado de certo rei cujo nome era Acabe, casado com a, mais popular que ele, Jezabel, havia um profeta chamado Elias! Intrépido e que abominava a injustiça, a idolatria e qualquer espécie de mal!
Em um determinado dia desafiou os profetas de Baal, protegidos da rainha Jezabel, cujo pai chamava-se Etbaal (“estou com Baal”).
 O povo de Israel, como dizia o próprio Elias “coxeava” entre a adoração ao D'us vivo que criou o céu, a Terra, a fonte das águas e tudo o que neles há, e a deuses de pedra como Baal a quem era atribuída a fertilidade da natureza, contrapondo-se, assim, ao D'us que havia libertado os israelitas da escravidão no Egito.
O interessante nessa história é que o desafio ocorreu justamente no Monte Carmelo, o mais próximo ao Campo de Megido, e foi, exatamente no Campo de Megido, onde se concentrou o maior número de espectadores dessa “batalha de natureza espiritual”, na qual não haveria uso de outra arma que não fosse a oração!
De um lado Elias, tão citado por Paulo Coelho, oraria a seu D'us e do outro 450 profetas de Baal, além dos 400 profetas de Asera, conhecida tanto como mulher de Baal quanto como mãe do mesmo e era chamada de deusa da fertilidade (a mulher que inspirou as imagens gregas de Diana, Arthemis, a estátua da liberdade, a face em algumas cédulas do dinheiro brasileiro...)!
Enfim a batalha estava preparada! Dois altares com pedaços de vítimas animais a serem queimados apenas pelo poder sobrenatural de um dos deuses!
A proposta de Elias era que o D'us que respondesse as orações de um dos lados com fogo que consumisse o sacrifício seria o verdadeiro D'us, digno de ser “adorado pelo povo de Israel”!
A proposta de Elias envolvia a obediência ao D'us vencedor! Envolvia servir a apenas um lado! A Batalha estava na mente do povo! A que seria travada entre os profetas antagonistas era apenas a personificação da Batalha que havia na mente dos infiéis israelitas!
 A quem servir? O rei Acabe era o exemplo e servia a ídolos que sua esposa Jezabel chamava de deuses. O povo, em sua maioria, seguia o rei.

O governante costuma servir de espelho para os governados... No dia em que houver um governante perfeito haverão governados perfeitos!
É o que pregam os senhores desse século e que decidem quem será a marionete que liderará por eles os países do mundo!

Naquele dia, no Carmelo, Baal faltou ao embate!
 Após um dia inteiro de orações, gritos (hoje também gritam muito por aí nos templos) e auto flagelo, os profetas de Baal desistiram.
 Como diz o Cláudio Duarte, quando Elias orou e disse “Senhor envia fo..” o fogo desceu e todo o altar que Elias preparou foi derretido e o sacrifício consumido.
O povo, contagiado gritou “verdadeiramente o Senhor (Jeová) é D'us” e mataram os profetas de Baal e de Asera.

Quem vencerá a Guerra espiritual pelo predomínio de sua mente?

A mente é o Campo de Megido! O lugar onde a Guerra tem sido disputada! O mal tem vencido muitas batalhas nas mentes de seres que roubam, matam, dizimam a natureza e cometem vilezas capazes de por em dúvida a natureza humana desses seres!

O antigo Livro diz que o mesmo D'us que venceu no Carmelo, cujo atributo é Amor, vencerá no Dia que já foi agendado por Ele mesmo a fim de que prevaleça apenas a harmonia que é baseada no amor incondicional que produz paz e perfeita convivência, sem a vileza do mal.

Será verdade?

Quem quer pagar pra ver?

Enquanto isso, aguardemos pelo dia 21 de dezembro de 2012 e não será motivo de espanto se o personagem que estava por trás do culto a Baal tirar proveito e induzir seus serviçais poderosíssimos como os Rotchilds e Rockfellers (Bildebergs) a matar uma parte gigantesca da população seja por eventos não naturais (a indução de tempestades violentas, erupção de vulcões provocadas artificialmente, terremotos provocados por explosivos estrategicamente colocados nas fendas das placas tectônicas, pulverização de químicos sobre as geleiras das cordilheiras à fim de provocar inundações e descontrole no clima...) na natureza, seja por violência de guerras em nome da paz.

É só aguardar.

Ronaldo Rhusso


3 comentários:

RONALDO RHUSSO disse...

O Armagedom é tão antigo quanto Éden, onde a serpente conseguiu o predomínio na mente de Eva! Ronaldo Rhusso

RONALDO RHUSSO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Bonifácio disse...

Bem explicado
Valeu Ronaldo.